A pegada folk da Burberry

25 fev

Para encerrar nossos comentários sobre a Semana de Moda de Londres – que nem causou tanto frisson assim – vamos falar de uma das marcas inglesas mais famosas no mundo: a Burberry. Foi mais uma que veio com o estilo folk para a passarela. Preparem-se, pois o inverno será repleto de franjas em roupas, bolsas e sapatos.

burbery

Anúncios

Meia curta com scarpin pode?

24 fev

Você usaria um scarpin com uma meia curta? A proposta foi apresentada por duas grifes na Semana de Moda de LOndres, encerrada nesta terça-feira (24). Anya Hindmarch e Osman levaram a opção para o catwalk. É preciso muito estilo para usar a combinação sem parecer esquisito.

Anya Hindmarch usou o mesmo tom de meias e sapato para compor os looks, com as meias indo até o meio da canela

Anya Hindmarch usou o mesmo tom de meias e sapato para compor os looks, com as meias indo até o meio da canela

Osman optou por meias mais curtas, mas mantendo o tom sobre tom entre sapato e meias

Osman optou por meias mais curtas, mas mantendo o tom sobre tom entre sapato e meias

A reinvenção do scarpin

21 fev

Se tem um sapato que é sinônimo de elegância, é o scarpin. E Oscar de la Renta conseguiu reinventá-lo na NYFW. Mix de texturas, cores e aplicações que deixaram o pisante básico longe da mesmice, capaz de torná-lo a peça principal do look. Aqui, os meus favoritos.

oscar1

oscar2

oscar3

O folk de Anna Sui

21 fev

Eu não gosto muito da onda folk. Mas o desfile de Anna Sui na NYFW me surpreendeu. Eu não sei se eu usaria tudo, ao mesmo tempo e agora. Mas o fato é que curti todo o look. Tanto que optei em mostrá-los por completo e não apenas as botas. Aqui, mostro os looks e as botas que achei mais interessantes, não necessariamente nessa ordem.

annasui1

annasui2

Os mais interessantes de Nova York

20 fev

Nova York não é uma cidade simples. Se fosse, não seria Nova York. E por isso sua semana de moda não cabe em um único post. Vamos mostrar aos poucos as tendências e as coisas mais lindas que desfilaram no catwalk da Big Apple durante a semana de moda de inverno.

ny1

Marc Jacobs trouxe um sapato de salto grosso com uma amarração no corpo do pé e no tornozelo, saindo da mesmice dos sapatos boneca e dos gladiadores. E olhe que eu nem gosto tanto assim de Marc. Proenza Schouler também saiu da obviedade das open boots. Marchesa desfilou uma sandália para lá de elegante, daquelas de parar qualquer festa que você vá.

ny2

Nanette Lepore mostrou uma sandália plataforma que vai do inverno ao verão, é só tirar as meias. Eu ainda estou buscando palavras para esse sapato de J.Crew, de tão lindo e charmoso que ele é. Design simples, mas encantador. E Lela Rose nos mostra que as transparências (já desfiladas em Paris) são mesmo tendência.

Ai, ai… Só de pensar já me bate saudade de toda a aquela deliciosa confusão urbana. Mas na prática mesmo, o que resolve são os confortáveis tênis e as aconchegantes botas de frio para bater as ruas e museus da cidade. Sou a favor do conforto e não da moda durante o turismo.

Muito folk, patchwork e botas claras

9 fev

Essa é a tendência de primavera para a Europa, segundo a Vogue. A coleção da Gucci trouxe botas do vintage de salto quadrado e textura elegante, com muito couro colorido.

Há, ainda, a tendência folk, com a Saint Laurent apostando em botas de camurça com franjas. A Louis Vuitton trouxe uma versão em vinil, enquanto a Lanvin propõe um modelo de camurça.

A moda dos anos 70 está de volta com o patchwork. A Prada veio com botas de salto de madeira, já o modelo Anna Sui apostou em formas geométricas e a Chanel trouxe um toque mais pop.

vogue1

Christian Dior, Chanel e Prada

vogue2

Louis Vuitton, Anna Sui e Fendi

vogue3

Lanvin, Alexander Wang e Saint Laurent

Em busca dos sapatos femininos ideais

5 fev

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Scarpin, meia-pata, peep toe, anabela, sapatilha, rasteirinha… Muitas são as opções de sapatos que o mercado da moda oferece às mulheres. Mas será que todos eles são confortáveis e fazem bem à coluna? Nem todos. Aquele salto super alto para a festa pode, sim, ser usado, mas apenas em poucas ocasiões e não no cotidiano. Para o dia a dia, o ideal mesmo são as sapatilhas, rasteiras ou sapatos com saltos baixos e mais grossos.

“Tudo com moderação pode ser usado. Não se pode apagar referências culturais da noite para o dia. O importante é que as mulheres saibam que o uso de certos calçados cotidianamente faz mal, mas se souber alternar, pode usar o calçado que quiser”, explica o coordenador do curso de pós-graduação em fisioterapia do Instituto de Desenvolvimento Educacional (IDE), Leonardo Azevedo.

O scarpin, modelo que é peça-chave no guarda-roupa feminino, está entre os que devem ser usados com moderação. “O salto muito elevado vai provocar uma carga de peso muito grande na região do antepé, quando o normal é ser no calcanhar. Os saltos muito finos geram uma instabilidade e um risco de acidente muito alto”, alerta.

Já os sapatos com saltos mais baixos e mais grossos são mais confortáveis. O uso constante de saltos pode levar a lesões nos músculos. “O salto gera encurtamento muscular nas mulheres, fazendo com que elas sintam desconforto quando ficam descalças ou usam uma rasteira. É um encurtamento na região de trás da panturrilha”, acrescenta.

Os chamados meia-pata são menos prejudiciais. “É uma boa alternativa, porque a base reduz a diferença entre a parte do calcanhar e a frente do pé, além minimizar o distanciamento do solo Isso vai oferecer mais conforto, e reduzir os riscos das dores na parte da frente do pé”, diz. As anabelas também são melhores. “A plataforma em toda a continuidade do calçado oferece mais conforto”, complementa.

Para passar o dia todo, o ideal mesmo são as sapatilhas, devido à ausência de salto. “Isso permite a postura normal, que favorece não apenas os pés, mas todo o corpo, principalmente a região lombar. Além do mais, são calçados flexíveis, que permitem a mobilidade natural das articulações”, explica.

As sandálias rasteiras, que compõem muitos looks de verão, têm a vantagem de afastar o calor. “Elas oferecem uma boa largura na região anterior dos pés, que evita um mal posicionamento dos dedos, que é causa de dores e incômodos variados”, comenta Leonardo.

Mas não precisa sair jogando fora todos os seus saltos altos. Como falamos no início, aquela sandália fan-tás-ti-ca com 15 cm de salto agulha pode ser usada, mas com moderação. “Não faz mal nenhum. É um momento esporádico, o corpo suporta esse desconforto. O problema é se ela usar esse mesmo calçado oito horas por dia ao longo da vida dela. Isso, sim, é um empecilho”, conclui Leonardo.

* Reportagem escrita e produzida por Mariana Araújo, autora do blog, e publicada no Jornal do Commercio, Recife-PE.